Taxas da Operação Cesariana. Qual a posição do Brasil no ranking mundial?

por Dra. Ivanice Barcellos Gemelli

Segunda-feira, 25 de Fevereiro de 2019, 17:00h.


Assunto que traz interesse, por vezes polêmica e que acima de tudo reflete a conscientização da população e dos profissionais de saúde: O número crescente de Cesarianas mundialmente. A taxa ideal considerada a nível internacional é em torno de 10 a 15% para as operações cesarianas. Dos 169 países estudados pela OMS, 60% estão acima dos 15% estimados. A América Latina é o local com maior taxa de cesarianas (43,3%) e o Brasil ocupa o segundo lugar entre os países que mais realizam tal procedimento.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) é clara em afirmar que a cesárea é uma intervenção efetiva para salvar a vida de mães e bebês, no entanto deve ser indicada por motivos médicos.

Por outro lado, se considerar-se que as taxas estão na sua maioria acima da previsão e que neste nível o procedimento não reduz as taxas de mortalidade materna e neonatal, fato que contraria o princípio do procedimento que tem por objetivo preservar a vida do binômio materno fetal. Além disso, ainda se estudam outras consequências que podem associar-se a desfechos negativos como aumento de morbidade materna, perinatal, pediátrica, e outros como bem-estar social e psicológico. Com esse foco, estudos têm sido encaminhados objetivando maiores esclarecimentos sobre desfechos da operação cesariana na saúde.

Fonte: Declaração da OMS sobre taxas de Cesarianas


Categorias